O que está mudando no mercado consumidor

Tecnologia, crise, concorrência, inovações de marketing, entre outros. Essas são algumas características cruciais que justificam a mudança de comportamento dos consumidores ao decorrer dos anos. Enquanto muitos ambientes comerciais buscam novas formas de vender, de atrair e de fidelizar novos clientes, outros acabam demorando a agir e assim caem em ostracismo. Para segurar a atenção do público, é necessário que o PDV entenda as tendências e desenvolva ações.

A pesquisa Tendências do Varejo nas Américas, elaborada pela consultoria Euromonitor International, revelou uma análise das principais tendências para o varejo em 15 países. Muitas delas apontam um futuro positivo e lucrativo, porém é necessário que as estratégias sejam bem sucedidas.

Com novas tecnologias, a conectividade veio para deixar o consumidor mais informado e mais exigente. Isso reflete diretamente nas lojas que precisam oferecer ainda mais informação. Esse diferencial tecnológico entre PDVs ainda será importante para quem deseja se sobressair contra a concorrência.

Veja algumas outras tendências para o varejo em 2015:

No Brasil, os atacarejos, lojas de autosserviços, ganham mais espaço por causa dos preços competitivos para quem compra em grandes quantidades ou volumes. Isso é resultado da crise que assola o país.

As grandes redes estão partindo para ampliar o atendimento em estabelecimentos menores. Com o público-alvo de consumidores on-the-go (em trânsito), essas lojas conveniência buscam oferecer praticidade em locais distintos de suas lojas maiores.

Não é uma época de guardar objetos sem utilidade. O sucesso de OLX e BomNegócio.com para comercializar de roupas e móveis até instrumentos musicais tornou a vida de vendedores e compradores mais fácil.

Esse é um bom investimento para PDVs que desejam oferecer mais informação e atrair a atenção de seus consumidores de forma eficaz. O uso de displays em grandes redes valoriza o atendimento da loja e faz o produto anunciado sobressair, seja em prateleiras, vitrines ou caixas.

Com informações: O negócio do Varejo, Diário do comércio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.