Como o gigante Wal-Mart conseguiu roubar da Sears o topo do mercado

Grande gerador de lucro, o investimento em novas tecnologias é muito importante para inovar a experiência de compras do consumidor e assim fidelizá-lo. Se antes ele estava propenso a comprar por obrigação, nos dias de hoje, ele quer algo mais. Seja se sentir bem atendido ou simplesmente fazer um papel mais ativo que apenas sacar o dinheiro e pagar no caixa.

Nos anos 60, o sucesso no ramo do varejo era baseado em sua localização e abrangência de produtos oferecidos. Nos Estados Unidos, o modelo que se tornou como padrão veio da Sears, a mais bem sucedida empresa do setor na época. Nos dias de hoje, a Sears não só perdeu o posto para a Wal-Mart como ainda anda amargando prejuízos.

O maior varejista do momento, a Wal-Mart, conquistou esse lugar se apoiando em dois pilares: eficiência operacional e tecnologia. Hoje, esse sistema garante para a gigante empresa um diferencial que tem sido copiado e alterou os novos rumos do marketing no mercado.

A estratégia de ouro da Wal-Mart é basicamente deixar a logística mais eficiente nas lojas e estreitar a comunicação entre os clientes e os produtos oferecidos. Com um sistema integrado e dinâmico, a empresa conseguiu diminuir os custos em publicidade e investiu em uma fórmula que consegue manter produtos com um preço abaixo do resto do mercado por longos períodos.

Com o surgimento de tecnologias práticas e da possibilidade pouco restrita de autoatendimento, expandiu-se uma mudança comportamental que intensificou o uso de tecnologia para busca de informações e compras. Para o varejista ser bem sucedido nesse novo mercado, é necessário entender e buscar qual solução tecnológica pode entregar soluções que busquem engajamento, dinamismo e oferecem uma melhor experiência para o consumidor.

Tivi é especialista em tecnologia para o varejo

A empresa especializada em tecnologia promocional, TIVI, oferece diversas ferramentas que podem dinamizar o marketing interno de pontos de venda (PDV) e aumentar a experiência do consumidor. Por exemplo, o Shelf Display que pode exibir até cinco conteúdos diferentes, apresenta dois modos de operação, possui diferentes tipos de suporte, frente estilizável, botões luminosos e poder para gerar resultados.

Para mais informações, veja aqui.

Com informações: Cenário Logístico, Portal No Varejo, Exame.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.