O que o mercado não pode ignorar

As tendências do mercado estão refletindo as últimas novidades do varejo. Desde a ascensão do e-commerce até a entrada de novas tecnologias em Pontos de Venda, o consumidor está propenso a seguir as estratégias de marcas e empresas, porém, apenas se elas se adequarem a questões que estão crescendo no contexto social e econômico.

Estudando o comportamento do consumidor, a inglesa Dunnhumby, empresa líder mundial no assunto há 25 anos, aponta as principais tendências de consumo identificadas no varejo global. Os tópicos a seguir podem contribuir para moldar o futuro do varejo, sendo importante serem levados em consideração. Confira:

  1. Conveniência:

A economia de tempo tem sido primordial na escolha de como e onde o consumidor deseja comprar. Ele quer encontrar maneiras rápidas, fáceis e simples para fazer suas compras. O varejo precisa oferecer a conveniência necessária em todos os níveis e garantir uma ampla e agradável experiência de compra.

  1. Valor:

Em tempos de crise no Brasil, a economia é a palavra da vez. A comparação entre marcas e preços existe, mas os clientes ainda buscam produtos de qualidade e que oferecem uma boa informação sobre o seu produto. Promoções são importantes, assim como ferramentas para aproximar o cliente dos produtos.

  1. Economia social:

Vivemos em uma era em que existe uma preocupação com o social. O conceito de sociedade e comunidade é muito forte e o cliente quer ter a voz. Então, o PDV e as marcas precisam ouvir o seu cliente, dialogar, seja pela internet ou simplesmente dentro dos estabelecimentos.

  1. Personalização:

Hoje ninguém quer ser tratado como mais um. O cliente quer cada vez mais produtos e serviços personalizados, com mensagens que o atinjam diretamente. Por isso, é importante que o varejo e marcas usem análise de dados e ferramentas que possam dinamizar o atendimento de diferentes públicos alvos.

  1. Fusão Cultural:

Com a globalização impulsionada ainda mais com a internet, é de suma importância que o empresário esteja ligado às datas comemorativas e eventos famosos. O marketing viral de campanhas que se referem aos termos do momento se reflete também no varejo. Datas como Halloween até a Black Friday são bons exemplos.

  1. Online, sempre:

A tecnologia mobile vai continuar moldando o varejo, seja como um canal de comercialização de produtos, seja como um importante meio de comunicação. O físico e o virtual vão se alinhar e criar uma convergência de canais ainda mais complexa. Interação é a chave do negócio.

  1. Saúde e bem-estar:

A sociedade também vive uma época de culto à saúde e ao bem-estar. O varejo precisa estar de olho nesse setor, afinal, mais de 70% das pessoas acreditam que são menos saudáveis do que as gerações anteriores e os consumidores esperam que os fabricantes e varejistas forneçam suporte para a adoção a um estilo de vida saudável.

  1. Novo modelo de família:

Foram muitas transformações em relação às famílias e suas dominações. Conceitos como o de idoso, de chefe de família e a configuração familiar não são os mesmos que antigamente. Eventos como casamento, nascimento, compra de imóvel, etc., estão sendo adiados cada vez mais e os filhos demorando mais para saírem de casa. Essas características precisam ser levadas em consideração pelos varejistas que não podem ficar presos a velhos paradigmas.

  1. Consumo Ético:

Já viu campanhas publicitárias sendo linchadas pelo Twitter ou Facebook? Então. As pessoas estão atrás de marcas que são socialmente responsáveis ou sabem contornar crises de comunicação rapidamente. É fundamental que o varejo esteja aberto para perceber seus erros e também respeitar a diversidade de gêneros, culturas, etnias e evitar constrangimentos e ofensas.

Com informações: O Negócio do Varejo, Wikipédia, Exame.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.