Como o varejo precisa se adaptar 

A sociedade não vive mais sem seus notebooks, smartphones e tablets. Muito pelo contrário. A tendência é que essas ferramentas de comunicação e informação se proliferem ainda mais, servindo para outras utilidades cotidianas. Como vivemos numa Era On-Line, quando mais práticas essas plataformas digitais, maior a capacidade de trocar informações, baixar dados e fazer transações em diferentes vertentes. Hoje em dia, a compra pela internet tem tomado cada vez mais espaço. Entretanto, o varejo também está crescendo com essa mudança.

Uma pesquisa do Google mostrou que o tempo em que os brasileiros passam acessando a web por seus variados dispositivos móveis aumentou 112% no último ano. E engane-se quem acha que essas plataformas também não influenciam o comportamento das pessoas. Na hora da decisão, entre serviços ou um produtos, a internet é realidade para 64% dos internautas brasileiros. Eles acham fundamental utilizar os mecanismos de pesquisa na hora da escolha.

Apesar disso, 97% das vendas do varejo ainda ocorrem em lojas físicas. Para compreender essa trajetória online to store dos clientes, os varejistas possuem agora o auxílio do Google. Um serviço lançado recentemente pela empresa traz uma métrica chamada Store Visits. Com ela, os anunciantes podem estimar o número de pessoas que visitaram suas lojas físicas após clicar em um anúncio do Google.

Compreender essa trajetória online to store dos clientes é uma tarefa essencial para os varejistas e os profissionais de marketing. Para ajudá-los nessa missão, o Google está trazendo para o Brasil uma nova funcionalidade do Google AdWords, a métrica Store Visits. Com ela, os anunciantes conseguirão estimar o número de pessoas que visitaram suas lojas físicas depois de clicar em um anúncio da busca do Google.

Marketing digital como apoio

Além de apostar em métricas para medir a participação do cliente nessa trajetória entre o online e o PDV, é importante também que o varejista aposte em ferramentas locais de marketing digital. Afinal, o cliente está acostumado com esse tipo de ação e até cobra isso do estabelecimento.

Um bom exemplo de plataforma para o varejo é o Android Display. Trata-se de um Display, com o sistema Operacional Android, que apresenta Tela touch e opções de tamanho até 32”. Por ter sistema operacional e ser touch, as possibilidade de aplicação são infinitas. Aplicativos interativos da marca, Advergames, interação com redes sociais, possibilidade de gerenciamento e atualização de conteúdos via web. Confira mais informações aqui.

A união entre o online e o varejo não se trata bem de uma tendência, mas sim de uma realidade. É adaptar-se ou ser engolido por essas novidades.

Com informações: Google, TIVI, Exame.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.