Crise e concorrência obrigam as redes a renascerem

Supermercados tem sido pauta de jornais e programas diariamente durante todo esse ano, mas, infelizmente, não foi para mostrar novidades no setor e sim para mostrar como os alimentos ficaram mais caros com a alta inflação e o país em crise. Nada mais natural então que o supermercadistas vão revendo suas operações e se preparando para tempos ainda mais sombrios que estão por vir. Mas o que ele vão fazer?

Muitos estão repondo o estoque cada vez menos, diminuindo a variedade de marcas e produtos nas redes, o que, consequentemente atinge também o consumidor. E isso pode ser algo perigoso.

Para suprir esse vácuo, é necessário mostrar ao consumidor porque certos produtos ainda estão ali disponíveis e como eles podem substituir certas marcas. Outra maneira é oferecer uma experiência diversificada para atrair o cliente. Nos dias de hoje, o consumidor não espera mais apenas encontrar os produtos na prateleira com o preço anexado, eles querem mais. Querem conhecer os benefícios daquele produto, daquela marca.

Investir em Marketing digital é a solução

Se o consumidor já não está tão propenso a gastar muito, pior ainda se ele nem sequer conhece o produto. Uma placa de preço não diz nada sobre o que está sendo oferecido, então cabe ao marketing vender o produto. Ferramentas digitais como display, telas de LDC de propaganda, display interativo, entre outros, servem como um atrativo a mais para atrair a atenção do consumidor, informá-lo sobre o que é o produto e assim converter o curioso cliente;

Esses são apenas os primeiros passos para melhorar a comunicação entre o supermercados e seus produtos com o cliente. É muito importante frisar que o comportamento do consumidor é um reflexo do sentimento que o PDV passa para ele. Se o empresário estiver perdendo tempo chorando a crise, o cliente vai sentir. Enquanto isso, a concorrência está vendendo lenços.

Com informações: O Valor Econômico, O Negócio do Varejo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.